29 de junio de 2007

Filhos de Warat






MARTA GAMA - Marta é uma baiana que derrama poesia por onde passa. Seus amigos a definem como uma pessoa brilhante, cativante e sensível, qualidades que foram percebidas pelo professor Warat e que o levaram a eleger Marta como sua herdeira intelectual. Marta é advogada, professora da FABAC, mestre em Direito pela UNB (Brasília-DF). Apaixonada pelas obras de Warat, é uma grande estudiosa do Surrealismo Jurídico e da Mediação.


MARIANA VERAS - Dona de uma doçura e meiguice indescritíveis, Mariana encanta com seu pensamento sensível e por sua capacidade em traduzir o Direito para o Poético. Possui o dom do teatro e é uma peça chave em todos os projetos do professor Warat . Mariana é baiana, professora da UNEB e Jorge Amado, em Salvador. É mestranda em Direito pela UNB (Brasília -DF).


“Os cronópios são uns micróbios verdes que nos fazem acreditar na arte, poesia e loucura. "
“Warat para mim representa o mundo onírico, a carnavalização, o amor, a paixão, a alteridade, a dimensão artística despertada que só o demasiadamente o humano resguarda e é capaz de inventar. Warat me faz escutar o inaudível, ver o invisível, o silente, ajuda a abolir o mofo das tradições que impregnam os espaços pedagógicos, instaura em mim o inconformismo diante de qualquer atitude pedagógica conservadora autista e estéril. É para mim Morfeu, com suas multifaces, ora Dionísio, ora um Guerreiro que bravamente combate a violência que nos rouba a sensibilidade e lembrança da nossa liberdade.”


JULIANA GOULART- Falar de alguém tão especial como o professor Warat é uma honra. Nós dois criamos este intervalo de tempo brincando e deu certo. Hoje temos a colaboração de muitos amigos, por isso o blog é tão especial, um lugar viajante, onde flutuamos e sonhamos ludicamente com a Arte e o Direito. Ao acessar o blog você nos leva ao seu mundo ou visita o nosso, a escolha depende de você. Boa viagem!

"Após uma reunião das Deusas do Amor e da Justiça, as duas decidiram escolher Warat para realizar algumas tarefas....Convidado a comparecer na morada dos Deuses, elas contaram ao jovem Warat que ele teria uma importante e difícil missão: seria responsável por uma grande Revolução no pensamento sobre o Direito, tão carente de afetos e esperança... Para isso, presentearam Warat com uma carruagem guiada por um dócil dragão mágico, que o fizesse viajar muito pelo mundo, divulgando a idéia de amor no direito, devolvendo a esperança aos juristas desiludidos. Antes de Warat partir, elas fizeram uma advertência: ele iria provocar reações de todos os tipos, teria que realizar alguns sacrifícios pessoais e seria uma pessoa incomum... mas que conquistaria a amizade verdadeira de pessoas especiais que o ajudariam a divulgar suas idéias... A Deusa da Justiça, muito abatida, solicitou um grande favor: que Warat mudasse a espada de suas mãos e colocasse no lugar um coração, já que a Deusa se entristecia por terem idealizado sua imagem com uma espada em punho. E implorou, ainda, que lhe tirassem a venda dos olhos pois ela, além de ouvir MUITO bem, queria VER todos os que a ela recorriam, prestando ATENÇÃO com todos os seus sentidos ao clamor dos que a ela recorressem...." trecho da carta de Lou Salomé em homenagem ao professor Warat.

Juliana Goulart é advogada e estudante de filosofia na UFSC. É pos-graduanda em Direito Processual pelo CESUSC e organiza o grupo de Arte e Direito de Florianópolis. É assistente do professor Warat.


1 comentarios:

NavsALL@usa.com dijo...

Prezada Juliana,
Ao ler a transcrição da bela carta da colega Lou Salomé em homenagem ao Professor Warat, vi-me entre aqueles que custaram a entender as sábias mensagens. Distante, contudo, no EspaçoTempo, pude bem avaliar o quilate daquelas assertivas.
Ora quando me proponho a veicular um pequeno approuch sobre a epistemologia, surpreendi-me ao verificar a amplitude que tomaram o mestre e a matéria.Tomei a liberdade de expô-la.
Votos de pleno sucesso, a você, aos nossos irmãos, e ao "pai" Warat.
Cesar Augusto Duarte Ramos