23 de diciembre de 2010

CCJP - UNIRIO

UNIRIO




O Centro de Ciências Jurídicas e Políticas/CCJP e o Instituto das Ciências do Estado e da Sociedade/ICES/UNIRIO lamentam profundamente a perda do professor Luis Alberto Warat, ocorrida no dia de ontem, 16 de dezembro de 2010. Deixa três filhas em Buenos Aires, cidade em que viveu e faleceu.

Sua morte deixa enorme vácuo entre seus inumeráveis amigos, alunos e seguidores de vários países, que a partir de agora dão início a uma série de homenagens a essa figura atuante, solidária, bem-humorada e de grande valor humano.

Com mais de quarenta anos de docência, Warat foi mestre de incontáveis profissionais que hoje se destacam nas Ciências Jurídicas, Filosofia do Direito, Sociologia, Ciências Políticas e outras áreas afins.

Argentino, escritor com mais de quarenta livros publicados, ocupou relevante espaço na luta pela redemocratização das universidades brasileiras, especificamente nas Escolas de Direito de várias universidades nas quais, através dos programas de Pós-Graduação, introduziu a crítica e o espírito de inovação no conhecimento do Direito.

Warat, Professor Doutor em Direito pela Universidade de Buenos Aires, foi Pós-Doutor pela Universidade de Brasília e professor do Mestrado e Doutorado em Direito da mesma Universidade; foi professor titular de Filosofia do Direito, Introdução ao Direito, Lógica e Metodologia das Ciências em diversas universidades. Foi professor emérito da Sesuc Florianópolis, titular do mestrado da UFRJ, professor do Mestrado em Direito da Puc-Rio.

Tão logo sejam reiniciadas as aulas os professores e alunos do ICES/UNIRIO realizarão cerimônia de louvor e agradecimento ao Professor Warat, que durante anos participou de eventos, aulas e conferências nesta universidade.




Carta do CCJP ao Prof. Warat

En nombre del decanato y de todo el cuerpo docente del Centro de Ciencias Jurídicas y Políticas de la Universidad Federal del Estado de Rio de Janeiro (UNIRIO), manifestamos toda nuestra tristeza y pesar por el fallecimiento de nuestro querido amigo y eterno mestre Luis Alberto Warat. Figura impar, por su talento intelectual y profunda sensibilidad, deja en todos nosotros, estudiosos del derecho, la política y la filosofia, una lección de vida y ejemplo profesional inigüalables.

Sobre la primera, porque colocó los sentimientos, su abertura a la alegría y al sufrimiento humano, como prioritarios no sólo en las relaciones personales, sino tambiém, y lo más incomún, en las relaciones que estableció en ámbitos no muchas vezes propícios para eso.
Sobre el segundo, porque colocó su saber, como profesor y estudioso, a favor de la formación de alumnos críticos y autónomos y a favor de un conocimiento que, además de crítico, fuera original y creativo. Sin duda, querido Luis, estos dos legados que nos dejas lo sabremos aprovechar para que nosotros, que trabajamos en este centro de estudio e investigación, podamos, también, a nuestra manera, fortalecerlos en tu nombre y memoria.

Recibe, caríssimo Luis, en el lugar que te encuentres, nuestra profunda admiración.

CCJP/UNIRIO




Carta da Decania do CCJP ao Prof. Warat


Querido Warat,


Você parte serenamente, como viveu. Parte silenciosamente, docemente. Um forte impacto, sua vida e sua morte. Homem apaixonado pela vida, pelo saber, pela arte e, especialmente, pela própria humanidade, foi um grande brasileiro, um grande argentino, um verdadeiro judeu. Muito falta faz a muitos de nós e muito mais fará, a medida que o tempo passe e sua ausência seja cada vez mais sentida.

Warat leva uma parte de nossas vidas com ele, mas deixa também uma bela história de vida conosco e, ao longo de 2011, muitas homenagens serão prestadas, muito reconhecimento será feito a sua obra e esta será permanente para muitos. Mas sua pessoa, seu amor pela vida, seu carinho e doçura com todos, nada mais disto restará. Quanta saudade.


Flora Strozenberg



Fuente: http://www.unirioccjp.com.br

1 comentarios:

Anónimo dijo...

Flora: no sabes la emocion al leer lo que escribiste , son palabras que quedaran siempre en mi corazon , sos un gran ser humano y se cuanto te queria mi papa,Florencia Warat