19 de agosto de 2009

O TREM DOS 30.

Reclamações, temores, insegurança, pressão.

Tudo isso sofrem as mulheres que embarcam no vagão dos 30 anos.
Todas nós sabemos em que direção vai esse trem sem volta, 30,40,50...
A tensão é tanta que muitas de nós perdemos a oportunidade de apreciar a viagem. Caímos na cilada da perfeição.
A maioria espera que nesta época estejamos encaminhadas profissionalmente. E que afetivamente a gente já tenha algo encaminhado, ou algum bom sujeito em vista.
Afinal, após cruzar a marca dos 30 o trem parece acelerar terrivelmente.
E os filhos? Pânico neste item para aquelas que ainda não deram ao mundo uma contribuição permanente.
Mas onde foi parar o prazer da trajetória?
São muitos, penso.
Nascemos inconscientes do que somos e do nosso corpo.Na medida que crescemos e a vida vai nos lapidando vamos acordando devagar, tomando consciência que nos cerca e do que nos constitui.
Precisamos ir tomando posse do nosso corpo. Os 30 são marcantes nesse sentido. Quando olhamos para a menininha que éramos aos 19,20 anos, percebemos.
Estamos,aos 30, mais conscientes dos nossos desejos,movimentos e prazeres. E isso deveria libertar uma mulher, mas ao contrário, as passageiras deste trem estão cada vez mais aprisionadas. Seguem em busca do corpo perfeito, plástico e moldado para agradar o outro e negligeciam os sentidos, alimento de Eros.
Esse despertar dos sentidos caminha de mãos dadas com o amadurecimento intelectual.
Quando entramos no trem dos 30, profissionalmente as dúvidas diminuíram dramaticamente, se tudo estiver bem temos pelo menos um norte.
Emocionalmente, já caímos em mãos erradas o suficiente. Caímos nas mãos, e no corpo inteiro,de homens bobos, imaturos, cafajestes, perversos, com medo de amar e outros tipos. E isso é fantástico!!
Essas desgraças amorosas (ou desgraçados,hehe), são muito menos frequentes depois dos 30, e tendem a diminuir cada vez mais.
Não porque os homens melhorem, mas porque se tivermos o mínimo de neurônios, ficamos mais espertas, com mais auto-estima(verdadeiro remédio contra esses sujeitos).Já sabemos o que NÃO serve, já abandonamos a fantasia de Cinderela, e descobrimos que tem muito sapo encantado por ai e muito príncipe fajuto.
E os filhos?
Adote, tá cheio de criança precisando de amor neste mundo, inseminação artificial, ou faça um com seu melhor amigo.Quer melhor pai para seu filho que seu melhor amigo?
Deveríamos chegar aos 30 e rumar para os 40 bem menos ansiosas. Deveríamos estar neste trem de cabeça erguida, com menos amarras internas. O trem dos 30 ruma para liberdade.O trem dos 30 é para quem tem coragem.
Mas quem não tem coragem, que vá para o fundo do vagão, que vá para academia, que espere na estação o príncipe, ou faça um filho com o primeiro idiota que encontrar.
Que perca a viagem, mas se embarcar que não sente ao meu lado, pois não gosto de lamurias e quero sentar na janela, curtir a viagem e rumar pela vida de cabeça erguida.
Extraido del blog de Andrea Beheregaray http://wunschelrute.blogspot.com/

2 comentarios:

Daniela Felix® dijo...

Concordo em parte.
Outra libertação que a mulher precisa se dar conta é da maternidade, penso que podemos contribuir pra "humanidade" com outros feito que não o de ser Mãe.
Assim como os homens, há mulheres que padecem do instinto materno e que podem passar pela vida reprodutiva sem criar raízes.
A vida feminina DEFINITIVAMENTE começa aos 30!
Um beijo Catarina,
Dani Felix

Luis Alberto Warat dijo...

Daniela Felix:
Gracias por tu comentario.
Apreciariamos que visites nuestro blog con frecuencia para no perder contacto.
Un abrazo.