24 de junio de 2009

Visita íntima, partida.


A intensidade e o sofrimento necessários.
Tudo parte,e como diz Clarice, só tenho medo é do que não fica pra sempre. Importante que parta, se não, não sobrevivo.
Preciso de sol para viver, liberdade e alegria.
Existem muitas formas de vivenciar algo, nem sempre concretamente.
Gosto muito da palavra, imaginação, imagem-ação.
Exige inteligência, sensibilidade e fluidez.
*
A visita partiu, voltou ao Hades.
Bem se vê, hoje o sol também voltou.
Não queria sair daquele colo quente, mas confesso, é um alívio que tenha ido.
Se não sofro, morro no escuro e sinto muito frio.
Estar com ele é a infelicidade mais profunda e alegre que já senti.
Também não resisto ser feliz o tempo todo. Cansa.
*
É ele que me leva ao mais fundo, do fundo de mim mesma.
É ele que me lembra que também sou triste, que a vida tem dores e que é preciso olhá-las.
E foi com ele que aprendi a encontrar paz na tristeza e na solidão.
Já não tenho medo do escuro.
*
E ele? Ele me acolhe nesse negro abraço e se aquece,por que de onde vem só encontra o frio.
Ele sorri das minhas lágrimas, necessárias, pois sabe que estou crescendo.
Fica feliz de deitar na minha cama colorida e depois de ouvir paciente as minhas reclamações, sorrimos.
Ele não tem essa vida. Não tem dentro dele minha alegria, meu entusiasmo e contentamento.
Não tem nada disso, e eu tenho.
Ele tem morte,dor e escuridão.
Eu tenho a romã nas mãos.
Precisamos um do outro,
Ele partiu, está mais quente, alegre e confortado.
Eu fiquei mais consciente,densa e feliz.
*
Preciso de ar!
Voltar do Hades é sempre angustiante,
Suspiro.
Que bom, nada dura para sempre.



Sacado del blog de Andrea Beheregaray
http://wunschelrute.blogspot.com/

0 comentarios: