23 de abril de 2007

"Carnavalizando" a Sala de Aula



"Eu sou um mágico, um ilusionista, um vendedor de sonhos, de ilusões e fantasias. Quando eu entro numa sala de aula, proponho, imediatamente, a substituição do giz por uma cartola.


Dela sairão mil verdades transformadas em borboletas. Eu sou uma abelha-vampiro, uma abelha da ilusão que suga verdades, os fragmentos de múltiplos saberes, as palavras que me acariciam- para construir os favos em que desejo pôr o mel.

Com meu comportamento docente procuro a utopia, falsifico a possibilidade de construção de um mundo, de / e pelo desejo. Ministro sempre uma lição de amor, provoco e teatralizo um território de carências. Quando invado uma sala de aula se amalgamam ludicamente todas as ausências afetivas. O aprendizado é sempre um jogo de carências."


(Warat em seu livro " A Ciência Jurídica e Seus Dois Maridos")


0 comentarios: